segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Incêndios

Hoje, o Dn-Madeira trás uma noticia da autoria do jornalista Márcio Berenguer, com o titulo, Calheta foi o concelho que mais ardeu.
A Calheta foi, nos últimos 10 anos, o concelho madeirense mais afectado pelos incêndios, de acordo com os dados da Direcção Regional de Florestas (DRF). De 1998 a 2007, cerca de 21 quilómetros quadrados (km2) foram atingidos pelo fogo, o que representa perto de 18% da área total do concelho.
Mas, segundo a mesma fonte adiantou ao DIÁRIO, nesta área ardida, que equivale a aproximadamente dois mil campos de futebol, estão zonas que foram sendo alvo de múltiplos incêndios durante este período. Uma situação normal na Região, em que a taxa de reincidência de incêndios florestais ronda os 45%. Também neste capítulo, o concelho da Calheta lidera as estatísticas regionais, com seis zonas a terem sido alvo de mais de quatro incêndios nos últimos 10 anos.
As causas para o elevado número de incêndios e a sua dimensão no nosso concelho são mais do que muitas. Por exemplo, os caminhos florestais em mau estado de conservação, as torres de vigilância que não funcionam, a falta de meios aéreos.

3 comentários:

joão gomes disse...

Senhor(a) Fajã da ovelha tou de acordo consigo mas só lhe tenho 2 reparos a fazer:
-Será que se justifica meios aéreos? Os incêndios são de pouco tamanho e com o nossos declives era um risco usar esses meios.
-O porque de tanta burocracia quando é preciso "ir a serra" buscar lenha, quando os terrenos são teus!
Mais uma achega, porque se constrói um quartel de bombeiros tão longe das aéreas florestais mais fustigadas pelos incêndios?
...e eram só mais 2 reparos...tá bom tá...parece que já nem sei contar...:)

Fajã da Ovelha disse...

Caro João Gomes, os meios aéreos (apenas um) para combate a incêndios na região são uma possibilidade, como acontece em canarias com a orografia idêntica à nossa. E na Madeira têm se feito resgate de turistas vitimas de quedas em zonas complicadas. Imagine-se um incêndio no rabaçal, no galhano ou em outros locais, como é que se ia combater o incêndio. Seria uma catástrofe. É apenas uma opinião que é discutivel.
Nem falando da sua localização, o pior é que não arranca a sua construção.
Por exemplo o meio aéreo também pode desenpenhar outras funções como: Salvamento no mar e terrestre;
Transporte de feridos;
Transporte de equipes técnicas;
Busca e Salvamento;
Monotorização Ambiental;
Vigilância.

joão gomes disse...

caro senhor:
as nossas florestas na zona em que fala ("rabaçal, no galhano") devido ao nivel de humidade existente só mesmo com muito azar a que poderam arder.
Para os outros tipos de salvamento que fala já temos o EH101 Merlin sediado em porto santo.
Acho mais necessário um novo barco pra patrulhar a nossa ZEE do que um helicóptero.